| |

Como criar um curso online?

A flexibilidade e o baixo custo têm impulsionado a preferência das pessoas por cursos online. Segundo pesquisa divulgada pelo Portal Terra, nos últimos dois anos houve um crescimento de 300% na procura pelo formato. Mas além dos benefícios para os estudantes, esse tipo de formação é uma oportunidade também para as empresas e também profissionais liberais. Para entender melhor sobre suas vantagens e como criar um curso online, confira o artigo a seguir.

O que é um curso online?

Tanto online quanto presencial, os cursos têm como objetivo a qualificação do participante em determinada assunto. Eles possuem uma sequência de conteúdos e aprendizados de maior ou menor profundidade. Além disso, os cursos online podem exigir avaliações e geralmente há a emissão certificados de conclusão. No Brasil, existem quatro principais tipos de formação online:

  • Técnico – formação prática para o mercado de trabalho, sendo classificado como uma capacitação entre o ensino médio e a graduação;
  • Graduação – exige a conclusão do ensino médio e é focada na formação profissional em determinada carreira e área do mercado;
  • Pós-graduação – formação superior à graduação direcionada para a especialização profissional em um segmento de atuação;
  • Cursos livres – capacitação rápida, prática e complementar, não exigindo pré-requisitos de formação.

Entre os tipos abordados, somente os cursos livres não exigem regulamentação e avaliação do MEC (Ministério da Educação). A modalidade é legalizada conforme a Lei nº 9.394, Decreto Presidencial nº 5.154 e Normas da Resolução CNE (Conselho Nacional de Educação) nº 04/99 MEC.  Por esse motivo, as empresas e profissionais liberais têm optado pelo formato em suas universidades corporativas e como fonte de renda.

Está pronto pra montar seu curso online? Então fale comigo que eu posso te ajudar!

Vantagens dos cursos online

Os cursos livres podem ser inseridos em praticamente todo segmento. Desde as áreas mais comuns, como marketing digital e finanças, até as mais segmentadas como cutelaria. Por isso, eles são a modalidade mais indicada para as empresas e profissionais que desejam investir na área. Devido à suas características, os cursos online neste formato podem ser usados como:

  • Formação continuada para funcionários ou público externo;
  • Curso complementar para quem faz outra formação;
  • Capacitações para assuntos e atividades avulsas.

Geralmente, os cursos online são realizados em plataformas de streaming com conteúdos:

  • Ao vivo – há transmissão simultânea das aulas, exigindo a que professor e alunos estejam online no mesmo período;
  • On demand – os conteúdos são gravados e ficam disponíveis para acesso a qualquer momento, sendo o modelo mais comum de curso online;
  • Híbrido – há transmissões ao vivo e também conteúdos gravados na plataforma de acesso.

Por não exigirem grandes investimentos e com o material podendo ser aproveitado por longos períodos, esse modelo movimenta grandes fortunas no mercado. Muitas empresas e profissionais têm nos cursos livres sua principal fonte de renda.

Além da autonomia para sua criação, o modelo possibilita o alcance de público superior aos cursos presenciais. Como consequência, há também um maior retorno financeiro para os produtores. De acordo com levantamento do Ibope Conecta, os cursos livres equivalem a 52% das formações online realizados por brasileiros.

Outra vantagem é que os cursos online são mais flexíveis. Geralmente as aulas são gravadas e ficam hospedadas na plataforma por tempo indeterminado. Assim, os alunos podem seguir o cronograma de acordo com seu próprio ritmo e tempo disponível. Essa característica é benéfica também para produtor do conteúdo. Como as aulas são gravadas, podem ser editadas e refeitas inúmeras vezes.

Passos para criar um curso online

Independente do setor, existem alguns pontos de atenção para avaliar ao criar uma capacitação online. Os itens a seguir consideram especificamente a produção de cursos em formato de vídeo, modelo mais consumido atualmente.

Planejamento

O planejamento é o guia para a produção e desenvolvimento da capacitação online. Por esse motivo, é importante dedicar um tempo considerável para avaliar diferentes aspectos que envolvem o projeto. É importante ter um objetivo concreto para a criação do curso, como o retorno financeiro ou a capacitação de funcionários.

Além disso, é fundamental definir o público-alvo da capacitação. A partir dessas informações é possível ter a certeza de que o público tem interesse no curso ou não. Além de dados demográficos como idade, gênero e escolaridade, é necessário compreender também:

  • Tipo de curso desejado;
  • Motivação para o estudo;
  • Disponibilidade;
  • Recursos de acesso.

Essas informações contribuem também para o conteúdo. A partir desses levantamentos, o produtor do conteúdo poderá determinar: tema, formato, cronograma e o orçamento para o curso online. É importante observar que o planejamento deve ser avaliado continuamente, desde seu desenvolvimento até a aplicação do curso.

Criação do conteúdo

A criação dos materiais deve seguir as determinações do planejamento, embora elas não devam ser vistas de modo restritivo. Além disso, é importante alinhar profundidade do conteúdo aos objetivos definidos e às expectativas do público-alvo, incluindo:

  • Duração das aulas;
  • Conteúdo programático;
  • Metodologias aplicadas;
  • Avaliações de aprendizado.

A identidade visual deve ser adequada ao projeto, envolvendo desde a área de acesso até a apresentação dos conteúdos. Outro fator que também interfere na qualidade do curso são questões técnicas de produção, como:

  • Câmeras;
  • Microfones;
  • Iluminação;
  • Cenários;
  • Roteiro;
  • Qualidade de transmissão (em cursos ao vivo).

Experiência do aluno

Na formação online, a estabilidade e facilidade de navegação da plataforma de acesso são pontos essenciais. A interatividade também é crucial para envolver o público na capacitação e contribuir para o aprendizado. Por isso, é recomendado investir em recursos como: enquetes, quizzes, sorteios e gamificação.

A segurança de dados também deve ser prioridade para evitar problemas como acessos não autorizados e o roubo de informações. Para isso, a plataforma do curso deve ter recursos como criptografia, whitelist, e chave no CDN (rede de distribuição de conteúdos) e no player.

Estratégia de divulgação

Mais do que pensar no lucro sobre o investimento, determinar o valor de um curso online envolve: profundidade, linguagem, metodologias aplicadas e características da plataforma. As formas de pagamento devem ser adequadas de acordo com o negócio, podendo ser uma cobrança única ou como mensalidades.

Antes de lançar o curso online, muitos produtores avaliam a receptividade do conteúdo no mercado. Para isso, é possível recorrer a ações como: pré-vendas, aulas experimentais, workshops e webinars.

O marketing digital tem se fortalecido como principal forma de divulgação dos cursos online.  Entre os canais mais recomendados, destacam-se:

  • Mídias sociais – as redes Instagram, Facebook, LinkedIn, Twitter e TikTok são as mais usadas atualmente. Elas oferecem métricas que permitem avaliar se o público-alvo do curso online é ativo na rede. Assim, é possível divulgar a capacitação nos canais mais adequados;
  • Anúncios online – tanto nas mídias sociais pontuadas quanto no Google, é possível pagar pela veiculação da comunicação do curso. Este tipo de divulgação tende a alcançar um público maior e mais segmentado que publicações gratuitas;
  • Programas de afiliados – além de aumentar a quantidade de pessoas fazendo a divulgação, existem afiliados que são especialistas na venda de cursos online.

Avaliação de resultados

A criação de cursos online é um processo contínuo. Mesmo com a formação sendo disponibilizada para os alunos, é essencial acompanhar o desempenho do material. Assim, é possível avaliar detalhes que tenham passado despercebidos e identificar pontos de melhoria do material.

As plataformas de cursos online mais completas também geram relatórios que contribuem para a avaliação dos resultados. Quantidade e período de acessos, uso de ferramentas de interação, avanço no conteúdo são alguns indicadores disponíveis para isso.

Plataforma de hospedagem

No mercado atual, existem inúmeras opções de plataforma para criação de cursos online. Para lidar com essa diversidade, é fundamental verificar as necessidades que o ambiente virtual precisa atender. Alguns dos principais fatores que devem ser avaliados na plataforma de hospedagem são:

  • Estabilidade – recomenda-se avaliar a quantidade de acessos simultâneos que a plataforma comporta, se há opções de múltiplas salas de aula e a rede de distribuição (CDN) do conteúdo;
  • Personalização – além da identidade visual para o curso, também é relevante verificar a personalização dos recursos e da navegação na plataforma;
  • Interatividade – as ferramentas de interação aumentam o engajamento e podem envolver chats moderados, quizzes, enquetes, sorteios e gamificação;
  • Certificados – a emissão automática de declarações de participação atrai estudantes e agrega valor para o curso online;
  • Monetização – o retorno financeiro do curso online pode acontecer por pagamento único ou de mensalidades, assinatura de parte do conteúdo ou por anúncios patrocinados;
  • Relatórios – fundamental para acompanhar o desempenho do curso a partir de métricas como, acessos, vendas e engajamento.

Os cursos online são ótimos investimentos. As oportunidades para as empresas e profissionais liberais com sua criação são muitas. A formação de pessoas é uma atividade socialmente relevante e por isso, é fundamental que a capacitação seja feita com seriedade. Ou seja, garantir conteúdos de qualidade é fundamental.

Artigos similares